(35) 3713 - 1352 Segunda - Sexta 08:00 - 18:00

Você sabe por que as pessoas têm instalado cada vez mais equipamentos de energia e aquecimento solar? Se você pensou “porque fica mais barato”, parabéns! Você acertou. Veja no post a seguir algumas formas do aquecimento solar ajudar a balancear o seu orçamento.

Temos testemunhado estiagens cada vez mais frequentes, especialmente na região sudeste e interior de Minas Gerais. As mudanças climáticas estão aí, e a falta d’água nas calhas dos rios impacta diretamente na geração de energia elétrica no Brasil. Isto porque 61,2% da matriz energética brasileira é composta por usinas de hidrelétricas e, com a falta de chuvas, a capacidade de geração de energia tem diminuído. Por causa disso, para evitar apagões, o país precisa acionar as fonte alternativas (usinas termoelétricas a base de combustíveis fósseis, no caso do Brasil). E adivinhe só: cada vez que as termoelétricas são ativadas, o custo na sua conta de luz aumenta. E mais: adivinhe qual é o eletrodoméstico que mais consome energia? Isso mesmo, o chuveiro elétrico.

Diminua seu centro de custos

De acordo com um estudo da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), nas regiões Sul e Sudeste do país, o banho de chuveiro elétrico pode chegar a representar até 40% do consumo de energia elétrica residencial no horário de pico. O mesmo estudo relata que, ao longo do ano, o consumo de energia elétrica pelo chuveiro do país corresponde a quase 30% da energia gerada por Itaipu no mesmo período. Hoje, estima-se que 70% dos domicílios brasileiros tenham um chuveiro elétrico. Naturalmente, na conta de luz, o cenário é semelhante: o maior vilão do consumo de energia é o chuveiro elétrico.

Mercado em expansão

Conforme o Plano Nacional de Eficiência Energética, desde 2009 o setor de aquecimento solar está em expansão no Brasil. Com a criação do ProGD (Programa de Desenvolvimento da Geração Distribuída de Energia Elétrica), essa tendência se confirmou. Estímulos financeiros têm sido oferecidos para a implantação de mini e microestações domiciliares geradoras de energia elétrica a partir de placas fotovoltaicas.

Incentivos fiscais e redução de custos para o consumidor

O ProGD (veja link acima) prevê investimento até 2030 de R$ 100 bilhões. Algumas ações ainda estão sendo implantadas, mas atualmente já é possível contar com Isenção de Impostos, tais como ICMS e PIS/Cofins. Quem instalar as geradoras em casa será tributado apenas sobre o saldo da energia que ele receber da distribuidora e não conseguir compensar.

Segurança energética e elétrica

Com a instalação de aquecimento solar, além da redução dos custos em sua conta por substituir o chuveiro elétrico por uma fonte virtualmente infinita e limpa de energia, você estará investindo em segurança energética e elétrica.

Alguns setores da sociedade mencionam em “crise hídrica”, mas é provável que se trate uma mudança climática efetiva e definitiva. Assim, considerando o enorme montante de geração hidroelétrica, é de se imaginar que a insegurança energética deve aumentar nos próximos anos.

Investimento de retorno garantido

Com o crescimento do setor no país, os custos de investimento para a instalação de sistemas solares tem sido cada vez mais baixo, e o retorno cada vez mais rápido.

Em alguns casos, o investimento inicial pode ser elevado. Por outro lado, a redução do valor da conta de luz pode variar entre 50% e 95%, e o investimento acaba “se pagando” em até três anos. Esse prazo e a taxa de redução na conta dependem de alguns fatores, tais como a média de consumo mensal, a variação nos preços da energia e radiação solar média na sua região.

Vocação natural do Brasil e sustentabilidade

O Brasil tem vocação natural para a adoção do uso de energia vinda do sol em grande escala. Estima-se que aqui cheguem 2.500 horas de sol por ano, o que significa uma incidência média diária de luz equivalente a 4,5 a 6 kWh. No interior de Minas Gerais, essa estimativa é de 6 a 7 horas de sol por dia, o que resulta entre 2.190 a 2.555 horas de sol por ano. Ou seja, o suficiente para aquecer a água da casa de muita gente.

Além disso, o benefício ambiental é enorme e alinha-se com os compromissos ambientais assumidos pelo país. Os projetos de usinas solares têm baixo impacto ambiental, e o incremento do uso de fontes alternativas reduz a necessidade de investimentos em fontes tradicionais menos eficientes e altamente poluentes, como as termoelétricas.

Portanto, a adoção de aquecedores solares, além de contribuir com o meio ambiente, pode reduzir em mais da metade o valor da sua conta de luz. Ser capaz de aquecer sua própria água, também, promove a segurança elétrica e energética da sua casa, o que é especialmente importante num ambiente de mudanças climáticas drásticas e crise econômica significativa.

Esse conteúdo foi útil para você?

Você conhece outras estratégias sustentáveis de economia na conta de luz? Compartilhe com a gente nos comentários!

Coletor Inox - Solar Minas

 

Deixe uma resposta

Fechar menu